Dúvidas?

Com a finalidade de esclarecer algumas das dúvidas que são comuns para as pacientes que irão realizar o exame ultrassonográfico, especialmente na primeira gravidez, escrevemos esse artigo.

Logicamente ele não pretende esgotar todas as questões sobre o assunto.  Assim, nos colocamos a disposição para novos esclarecimentos, quer seja pessoalmente ou pelo e-mail institucional da clínica: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O que é o Ultra-som Morfológico?


O Ultra-som Morfológico é um exame ultrassonográfico realizado com a finalidade de avaliar o máximo possível  da anatomia interna e externa do feto (bebê).

Este exame destaca-se dos demais devido a maior facilidade de execução e análise, quando realizado no período entre 18 e 24 semanas de gestação, em função da melhor relação entre o tamanho do feto e a quantidade de líquido amniótico que o envolve, permitindo uma melhor visibilização de todas as partes do feto.

Quando deve ser realizado?

O exame morfológico pode ser realizado em qualquer idade gestacional, porém os melhores resultados são obtidos no período entre 18 e 24 semanas. Antes de 18 semanas pode existir estruturas do feto ainda em formação e quando realizado após 24 semanas, devido ao tamanho do feto e a posição em que se encontra, várias partes do corpo e órgãos internos podem não ser adequadamente avaliados, limitando a capacidade diagnóstica do exame.

A tendência atual é a realização de uma avaliação preliminar da formação física fetal durante a realização da translucência nucal, no período de 11–14 semanas. Quando a translucência nucal estiver alterada e o cariótipo estiver normal deve-se realizar o acompanhamento morfológico mensal a fim de identificar precocemente alguma malformação. O estudo morfológico antes de 20 semanas tem menor sensibilidade diagnóstica do que os realizados após essa data, pois alguns órgãos encontram-se na fase final de formação, sendo portanto a idade gestacional ideal a de 22 semanas.

Como é realizado o Exame Morfológico?

Quando realizado no período entre 11-14 semanas, a via de acesso ideal é via transvaginal, podendo ser complementado pela via transabdominal.

Quando realizado no período entre 18-24 semanas, a via de acesso é sempre a via transabdominal.

Nesta oportunidade pode-se estimar o risco de parto prematuro com a avaliação do colo uterino que deve ser, obrigatoriamente, realizada com exame pela via transvaginal.

Também pode-se avaliar os riscos de pré-eclâmpsia grave e precoce (iniciada antes de 32 semanas) com a associação da Dopplerfluxometria das artérias uterinas realizada pelas vias abdominal ou vaginal.

A complementação do exame morfológico com o exame vaginal 3D aumenta muito a capacidade diagnóstica das estruturas localizadas dentro da pelve materna (geralmente o crâneo fetal).
 

O que será  avaliado no exame morfológico ?

Por ser mais detalhado, exige mais tempo e atenção da que os outros exames, devendo portanto ser realizado na presença de poucas pessoas. Neste exame deve ser avaliado:

Polo Cefálico: calota craniana (ossos e suturas), órbitas, cristalinos, cérebro, cerebelo, ventrículos cerebrais (laterais, III e IV), corpo caloso, tálamo, foice, cisterna magna e prega nucal; Face: Perfil, fronte, órbitas, lábios, nariz, osso nasal e queixo; Coluna: cervical, torácica, lombar e sacral; Tórax: pulmões e coração (4 câmaras e saída dos grandes vasos da base, arcos aórtico e ductal); Abdome: estômago, intestinos, rins e bexiga, inserção do cordão umbilical; Extremidades: Braços, antebraços, mãos, coxas, pernas e pés; Genitália: sexo e forma.
O número de fetos, a diferenciação em gêmeos idênticos ou não, a localização e aspecto da placenta, a quantidade de líquido amniótico e o cordão umbilical.

Ressaltamos que, embora seja objetivo do exame identificar todas essas estruturas, as vezes não é possível realizar. Por exemplo: dedos, orelhas, olhos, etc. Neste caso, deve-se solicitar em um próximo exame de rotina a complementação desta avaliação.

No exame morfológico do primeiro trimestre  a avaliação  se restringe à formação física geral do embrião ou feto.

Quando o exame é realizado no período entre 11-14 semanas é possível identificar várias estruturas em formação: cabeça (crânio, plexos coroides e foice), tronco (pulmões e coração, estômago e bexiga, coluna vertebral e cordão umbilical), membros (braços e mãos, pernas e pés), além da avaliação da placenta e cavidade uterina.

Quem deve ser submetida ao exame?

As anomalias estruturais são muito raras entre os recém-nascidos, entretanto a sua ocorrência é maior em gestantes de baixo risco (sem qualquer história anterior), portanto, todas as mulheres devem realizar o exame morfológico, principalmente quando:

- A gestante tiver 35 anos ou mais.

- Existem históricos familiares de malformações e/ou alterações genéticas.

- Malformações ou alterações genéticas em gestações anteriores.

- A gestante apresenta doenças como diabetes ou colagenoses.

- Há suspeita de infecções como rubéola, toxoplasmose, citomegalovirose, herpes zoster e varicela, zika, etc.

- Gestações múltiplas.

- O pai tiver 55 anos ou mais.

- A Translucência nucal estiver alterada.

- O Doppler do duto venoso estiver alterado.

- Na presença de qualquer malformação identificada no feto.

 

Bonus William Hill
Bonus Ladbrokes

Copyright © 2016 Vitoria Medifetus. Todos os direitos reservados.

Premium Templates